Resposta a um imeil de um amigo. Amigo?

 
Meu prezado,
Refiro-me ao imeil intitulado ‘O Cara’, de “autoria” de um sr. Caio Lucas, que você teve a bondade de me repassar.
 
Quando tiver uma crítica honesta, fundamentada, que fuja da inútil discussão de liberalismo econômico versus estatização, pois estas são questões ideológicas arraigadas em nossas mentes e que dificilmente mudarão, mande para mim que terei o maior prazer em aprender mais sobre nosso Presidente.
 
Claro que ele terá errado, e muito, como todos nós, que erramos em mais de um momento na vida. Somos todos humanos, o Presidente inclusive, e governar duzentos milhões de pessoas é mais complexo do que gerenciar os proventos de uma modesta aposentadoria.
 
Você, por exemplo, comete um erro grave, pondo em risco uma boa amizade, com o simples ato de repassar uma coleção de imbecilidades como esta sob resposta. Lembre-se, quando você repassa uma mensagem, assinala que está concordando com ela, está dando a ela seu valioso aval. Só li essas sandices porque vieram de você, e, é evidente, não sabia o que eram antes de lê-las.
 
Ocorre que pessoas de nossa idade já não teem mais muito tempo pela frente, daí não devermos desperdiçá-lo vendo maus filmes, lendo maus livros ou besteiras do calibre dessas que você me enviou, espero que distraidamente.
 
Vejamos: Reformas tributária, política e trabalhista. Perceba, modestos empregados, como você e eu, devemos agradecer todos os dias pelo freio da reforma trabalhista pretendida pelos neo-liberais. Ou você é tão crédulo que imagina seriam tais reformas a seu favor? Quanto às outras, lembre-se que não é da competência do Presidente editar leis, quem faz isso é o Congresso. Cobre dele suas ansiadas reformas.
 
Amigos envolvidos em mutretas. Perceba que nunca a Polícia Federal agiu com tanta desenvoltura como agora. Perceba que a imprensa nunca denunciou tanto, justa ou injustamente, como agora. Perceba que não existe mais um Engavetador Geral da República como no governo anterior. Perceba que se criam CPIs todos os dias, pelos motivos mais pueris, entre alguns sérios. Veja que, em São Paulo, nenhuma CPI prospera, graças a uma assembléia amplamente pró-Serra.
 
Inchaço do Estado. Muitos concursos para empregar pessoas em função de suas capacidades. Defina onde o funcionamento hoje é pior do que antes. Seria na Previdência? Na Receita? No Ministério Público? Na Saúde? Na Segurança? Na Educação? Onde piorou, por favor?
 
Viagens fúteis. Nosso comércio foi ampliado em volume e em parcerias, libertando-nos de alguns poucos clientes e/ou fornecedores. Hoje compramos e vendemos para inúmeros países, o que nos garante fluxos independentemente de problemas ocorrentes em um ou outro país. Organismos e publicações internacionais de inegável prestígio hoje reconhecem a importância do Brasil. Você, não. Quem é você, mesmo?
 
Humilhações de Argentina, Bolívia etc. Estamos em paz e negociando, com saldos favoráveis a nós, com todos esses países, exceção talvez de Honduras. As tais humilhações duraram só os quinze minutos que nossa imprensa golpista conseguiu dar-lhes. Diga qual país, no planeta, desrespeita ou está em crise com o Brasil.
 
Libertinagem e falta de futuro. Defina libertinagem em termos de política nacional ou guarde-a toda para si. Quanto a futuro, conte quantas escolas técnicas, quantas universidades, foram criadas e/ou ampliadas. Informe-se quantos alunos pobres (e também alguns picaretas não tão pobres) estudam com bolsas do PROUNI. Hoje há muito mais futuro do que tivemos nós em toda nossa vida.
 
Abrigo de marginais internacionais. Nomine esses marginais aqui abrigados. Lembro-me de Stroessner. Ah, mas foi abrigado aqui bem antes do Lula ser Presidente.
 
Corruptos e bandidos do passado ora aliados. Bem, se são do passado, lamento que seu intelecto não conheça inexistência de pena eterna. Sem citar nomes, é só uma frase feita que se pode aplicar a qualquer tempo e em qualquer situação, basta que não se tenha senso de responsabilidade.
 
Parasitas e vagabundos, bolsa família, bolsa terrorista, latifúndio improdutivo do MST. Aqui é metralhadora giratória que não cospe balas, mas ódio e tolices. Se você considera vagabundos os beneficiários do bolsa-família, nada posso fazer. Você deve achar justo deixar pessoas passar fome e/ou engrossarem as fileiras da criminalidade para
sobreviver. Põe grades em sua casa, blinda seu carro ou, se tiver dinheiro mesmo, foge para Miami ou Orlando, feliz por ter ajudado a construir o país onde nasceu. A bolsa-terrorismo lhe parece injustificável, afinal você não teve filho morto pela ditadura, parente ou amigo torturado, preso injustamente ou demitido do emprego. Agora, você se supera é com esse ‘latifúndio improdutivo do MST, o maior do mundo’. Tal frase decorre de má-fé, pois sei que você não é ignorante a tal ponto. Qualquer dicionário de bolso esclarece o que seja um latifúndio e lhe obrigará a saber que o MST não tem nenhum. Ou você está pensando naquele de João Cabral de Melo Neto?
 
Seus qualificativos para Dilma Roussef. Como é que uma pessoa dessas ficou livre até esta data, quando tantos inocentes foram jogados ao mar, ‘suicidados’, mortos ‘em confronto’, e sem sequer ter saído do Brasil?
Você pensa que a ditadura de 64 terminou quando? Por que não acionou a justiça durante mais de vinte anos para punir tal criminosa, só lembrando agora de suas barbáries?
 
Dizer que Lula rouba a nação é um privilégio que você desfruta agora. Agradeça por ele, o privilégio, a todos que contribuiram, de uma forma ou de outra, pela mudança de governo. Duvido que você dissesse isso, com ou sem razão, entre 1964 e 1985. Deveria usar a liberdade atual com mais respeito, ou apresentar provas do que diz.
 
O filho do Lula. Se você quiser me dizer alguma coisa sobre esse personagem, precisa falar, sim. Não sou advinho e não faço suposições irresponsavelmente.
 
Quase finalmente, as condecorações às mulheres. Desconheço a legislação concessiva delas e tenho certeza de que você nem sonha com sua existência. Todavia, caberá alguma ação contrária, basta que haja fundamentos. De meu lado, penso que tais senhoras não tenham menor mérito que os demais agraciados com as mesmas medalhas.
 
Por fim, enfim, ufa, o bravo e valente fecho que o autor, à la Arthur Virgílio, almeja para o Presidente da República: tapas na cara desferidos por todo brasileiro honesto e trabalhador.
 
Trabalhador me lembra sindicato. Talvez o ilustre sr. Caio Lucas, autor da peça, juntamente com o amigo que me repassou essa estrumeira, dirija-se com seu imeil a qualquer sindicato de trabalhadores de qualquer categoria profissional no Brasil e apresente sua proposta. Tentarei juntar as sobras.
Valentim Antunes Garcia.
Anúncios

One Response to Resposta a um imeil de um amigo. Amigo?

  1. Jorge disse:

    Caro aposentado: respondi a um desses, dizendo que como as denúncias eram graves, teriam que ser repassadas a PF. Imagina o terror desses caras….
    Parabens pelo trecho. Tenho respondido aos meus amigos que me mandam essas bobagens. Alguns, graças a Deus, já entenderam e não me enviam mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: