Sanduíche para canhotos

 

Em anúncio de página inteira publicado no

jomal US Today,  uma conhecida rede de fastfood

comunicou o lançamento de novo item

no seu cardápio: um sanduíche concebido

especialmente para os 32 milhões de americanos

canhotos. O texto informava que o

novo lanche possuía os mesmos ingredientes

do sanduíche original (alface, tomate,

carne etc.), mas sofrera rotação de 180º, de

forma a incliná-Io para a esquerda, evitando

que o recheio caísse para o lado direito.

A notícia provocou corrida aos restaurantes

de consumidores ávidos para experimentar

a novidade, ao mesmo tempo que muitos outros

exigiam a versão original, ou seja, o sanduíche

para destros.

Esse fato, que ocorreu em 1998, é listado entre

as 100 mais famosas “mentiras” de 1º de

abril e serve para exemplificar a dimensão

que esse tipo de brincadeira ganhou ao longo

do tempo, especialmente depois de assimilado

pelos meios de comunicação de massa

e pelas redes virtuais de relacionamento.

Embora secular na cultura de diversos países,

ninguém ainda sabe ao certo quando,

onde e como esse costume começou. Há referências

mais explícitas ao Dia da Mentira

ou Dia do Tolo – como é conhecido nos países

de língua inglesa – desde o século XVIII,

embora alguns pesquisadores apontem indícios

de sua origem já nos anos 1500.

Entre as muitas teorias que buscam explicar

sua procedência, a mais popular e plausível

tem origem na reforma do calendário

francês, em 1564, quando o rei Carlos IX

mudou o período de comemorações de início

do ano, que ia de 25 março a 10 de abril,

para 1° de janeiro. Alguns franceses resistiram

à mudança e continuaram a comemorar

a data em 10 de abril. Passaram então a

ser vítimas de gozações, recebendo presentes

estranhos e convites para festas inexistentes.

Teria nascido aí o costume, que na

França é conhecido como poisson d’avril,

ou peixe de abril.

No Brasil, a origem do Dia da Mentira tem

outra explicação: em 10de abril de 1848, passou

a circular em Minas Gerais um jornal

com o título A Mentira, que noticiou, em manchete,

a morte de Dom Pedro, logo depois

desmentida. Afundado em dívidas, distribuiu

sua última edição em setembro de 1849, convocando

todos os credores para um acerto

de contas no dia 1° de abril do ano seguinte,

em determinado endereço que nunca foi

encontrado.

Essa é só mais uma das hipóteses sobre o

Dia da Mentira. A verdade mesmo é que sua

origem continua sendo um mistério em todo

o mundo até os dias de hoje.

Será que tudo não passa de um globalizado

1º de abril?

Edemar. Autor desconhecido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: