Blogueiros a caminho da organização

 
 
Com algum atraso, uma interessante matéria sobre o que será a nova comunicação, a qual nos libertará da mídia tendenciosa e uníssona. Edemar.

 

 
Não seria exagero supor que o vigoroso aparato de ideias que transitou no Iº Encontro de Blogueiros Progressistas do Rio (06 a 08-mai/2011) pavimentou a trilha que nos levará, não a uma grande revolução como prevista por certos teóricos, mas certamente a um aprimoramento da nossa capacidade de comunicação, vista em toda sua dimensão social, política e cultural.
 
Mal apagadas as luzes desse evento, em tudo bem sucedido, e já estávamos nós, no dia seguinte, 09/05, reunidos com a deputada Jandira Feghali (uma das palestrantes do Encontro), juntamente com o PCult (Partido da Cultura) e outros promotores de eventos culturais de toda a região metropolitana do Rio. Nessa 2ª feira, tão logo a deputada ter destacado a possibilidade – quem sabe – do BNDES apoiar financeiramente a mídia independente e dissertado sobre a formação da Frente Parlamentar Mista Nacional pela Cultura (cerca de 300 parlamentares do Congresso), nada menos de sete militantes, comunicadores e articuladores da cultura do Rio puderam lhe transmitir o quanto consideram importante erigir-se um Ponto de Cultura em cada município ou escola – a ideia da cultura viva inserida em um abrangente Plano Nacional de Cultura onde até mesmo a singela figura de um agente cultural “pessoa física”, passe a ser vista como uma almejada contribuição ao sistema e não como um entrave burocrático como ocorre hoje em dia, além de manifestarem interesse em estar presentes – através de membros do PCult de Brasília – na reunião de instalação do Conselho da Frente Nacional de Cultura, hoje cedo, 11/05, com voz assegurada como se já fôssemos membro veterano.
 
Nas semanas que antecederam, os contatos na Câmara Muncipal, do Rio e na Assembleia Legislativa (ALERJ) já nos permitiram levar à Frente Parlamentar em Prol da Democratização da Comunicação e da Cultura, liderada pelo vereador Reimont Otoni (com a participação de Sônia Rabello e Eliomar Coelho, entre outros vereadores), nossos pleitos voltados para a desoneração tributária (IPTU e ISS) nas atividades da cultura, para a criação do Conselho Municipal da Cultura, para a reformulação da Lei de Incentivo e para a criação de um Fundo Municipal, estímulos mais do que atraentes às atividades de cultura em nossa cidade, ainda mais se permeadas com os conhecidos desafios inerentes às atividades da chamada Economia Solidária (EcoSol), demandas enfim que vieram à tona sem aquele habitual cortejo de hesitações. Algo semelhante se promoveu no âmbito da ALERJ em sintonia com os deputados Robson Leite, Gilberto Palmares, Paulo Ramos, Ines Pandelo, entre outros que não tardaram em se abrigar numa Frente Parlamentar de nome extenso, pela Liberdade de Expressão e o Direito à Comunicação com Participação Popular.
 
A pauta é longa, não cabe toda num informe que neste instante se propõe apenas dar conhecimento aos blogueiros e ativistas das redes sociais aquilo que se articula nas esferas municipal, estadual e federal, no âmbito da comunicação, da economia solidária, da educação e da cultura quando tais Frentes parlamentares, multipartidárias por excelência, se propõem discutir com a sociedade temas – alguns espinhosos, mas relevantes – como a garantia sobre a liberdade de expressão e a proteção jurídica devida aos blogueiros e demais comunicadores, a não criminalização assegurada às rádios comunitárias, as performances e realizações prazerosas dos artistas de rua, o plano nacional da banda larga, um desafio e tanto, o lado pouco iluminado do  ECAD, o marco regulatório da comunicação, outra pedreira, o Vale-Cultura e assim por diante, todos eles tão caros a nós blogueiros, colaboradores e ativistas das redes.
 
Se nós, como protagonistas, temos em mente oferecer aos nossos leitores uma espécie de instrumento de um contrapoder, ou seja, de uma alternativa de apreensão da realidade que faça prosperar neles uma capacidade crítica capaz de levá-los a perceber a existência de uma visão diferente do mundo ora trombeteado pela grande mídia empresarial torna-se importante que tenhamos uma ideia, a mais precisa possível, da dimensão cultural na qual estamos inseridos, seja no universo do nosso condomínio, da comunidade, bairro ou cidade, sabendo de antemão que informação não implica necessariamente em comunicação. Daí porque soa bem que se abram as portas, ou seja, que blogueiros e ativistas que queiram vender seu peixe, acolham em seus veículos não apenas a ideia tecnicista da comunicação embutida nas novas tecnologias e que, não raro, conduzem a um espaço onde todo mundo tende a pensar mais ou menos a mesma coisa, mas ao contrário que se livrem de qualquer incumbência que nos torne encenadores da nossa própria rigidez e estejam sempre dispostos a desempenhar o papel de um agente do plural, quando essa pluralidade exigir de cada um que se produzam conteúdos com a atenção cada vez mais e mais voltada para o vasto universo das outras possibilidades que só a educação, a arte e a cultura proporcionam.
 
Portanto, ao nos dispor participar dessas atividades e mais especificamente do Grupo de Trabalho que abrigará na Frente municipal carioca o tema Comunicação queremos propor à comunidade de internautas progressistas um vínculo em que o RioBlogProg possa, assim como o fez com a realização do Iº Encontro, liderar, de braços dados com o PCult, EcoSol e as Frentes, um processo de integração e pluralidade, de caráter rebelde e pleno de ousadias, que conduza a avanços no desenvolvimento da comunicação e da cultura, longe de um universo de usuários isolados em seus blogues e páginas, limitados às vezes a seus grupos de afinidades, incapazes de dialogar com conteúdos e significados diferentes dos seus, mas ao inverso, edificar um espaço vasto e múltiplo, capaz de refletir o pluralismo da sociedade, onde não nos sintamos presos às nossas próprias simpatias e onde as diferenças políticas, que sempre existirão, possam ser negociadas à luz dos valores que acalentamos e dos alvos que perseguimos, consumando com tenacidade a travessia entre o discurso e a adoção de práticas que fortaleçam nossas crenças e a continuidade das lutas.
 
 
 
Antonio Fernando Araujo 
Anúncios

One Response to Blogueiros a caminho da organização

  1. Neria Gatófila disse:

    já não é sem tempo e hora de acabar com este monopolio da informação e formação – liberdade de imprensa não é somente para formandos de jornalismo…rs.

    Todos os que gostam e tem os seus leitores devem fazer uso da palavra.
    Compromisso e responsabilidade – marcas de uma democracia plena.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: